Tudo que você precisa saber para escolher um bom vinho

Sobre o autor: Mileid Malta

Chef Gastróloga 👩🏻‍🍳 Mãe 👨‍👩‍👧‍👦🤍🤍💍 Dicas e receitas práticas p facilitar seu dia a dia ❣️

Pense na ocasião

Primeiramente, é preciso saber qual é a situação ou evento em que o vinho será servido. Dessa maneira, é possível definir qual o tipo de bebida procurar.

Por exemplo, um brunch em um dia ensolarado pede espumante, assim como aquele brinde para uma comemoração. Um prato intenso, bem temperado, cai bem com vinhos mais encorpados. Já as receitas mais leves são valorizadas com as bebidas mais refrescantes.

Na dúvida, opte sempre pelos vinhos coringas, como o Merlot e o Carménère, que são vinhos que ficam no meio termo, ou seja, apresentam médio corpo. Eles agradam tanto quem prefere vinhos leves quanto os mais encorpados.

Conheça o seu paladar, muitas vezes, quando começamos a frequentar esse mundo surpreendente dos vinhos, não sabemos exatamente o que nos agrada. É comum, no início, não ter essa noção do nosso paladar. Por esse motivo, nada melhor do que experimentar. Faça uma degustação que vai auxiliar a definir o seu gosto da seguinte maneira:

Prove 3 tipos de uvas:

  • Pinot Noir (leve),
  • Merlot (médio)
  • Cabernet Sauvignon (encorpado).

A partir daí, você já terá uma ideia melhor da sua preferência. Quando falamos em corpo, nos referimos à sensação de peso que a bebida traz à boca. Um refresco de limão é leve, já um suco de manga é denso, pesado. Entendeu a diferença? Sendo assim, observe qual o corpo que te deixa mais satisfeito, aqui não há necessidade de nenhuma análise técnica, apenas perceber o vinho que mais gostou.

Conheça os tipos de vinho

Para não ficar perdido na hora de navegar pela loja online para procurar o seu vinho perfeito, defina qual é o da sua preferência ou o ideal para a ocasião. Assim, fica mais fácil escolher a bebida certa. Para isso, é preciso saber quais são os tipos de vinhos.

A seguir confira alguns, conforme as classificações.

Presença de borbulhas

Os vinhos que apresentam borbulhas são os espumantes e os frisantes. Já os que não as contêm são chamados de “tranquilos”. Há ainda aqueles com efeito agulha, com borbulhas bem delicadas, e que são sentidas no paladar como leves picadas de agulhas, que é o caso dos Vinhos Verdes.

Cor

Os aspectos relacionados à cor do vinho, como tonalidade e intensidade, dependem da variedade da uva, da maturidade dela na colheita e do tempo em que as cascas mantém contato com o líquido durante o processo de vinificação.

Doçura

O teor de açúcar de um vinho é importante tanto para o paladar quanto para sua harmonização. A classificação dos que apresentam menos doçura para os vinhos mais doces é: seco, semi-seco, suave e licoroso. Escolha o tipo de uva Saber as características dos principais tipos de uvas é fundamental.

A partir delas é possível saber o que esperar do vinho. Por exemplo, um branco de Sauvignon Blanc é leve e fresco, já o elaborado com a Chardonnay é mais doce e encorpado.

  •  Merlot: é o mais versátil tinto seco de corpo médio, que harmoniza com queijos médias, massas moles e carnes vermelhas ou suínas;
  • Malbec: tinto seco e encorpado, ideal para massas com molho vermelho e carnes de sabor intenso ou churrasco;
  • Syrah: tinto e encorpado, tem sabor intenso que combina com carnes vermelhas; • Carménère: tinto com aroma de frutas vermelhas, vai bem com cozidos e possui características similares ao Merlot;
  • Pinot Noir: pode ser usada para vinhos tintos e brancos, tem sabor delicado e corpo leve, ideal para carnes magras, queijos brancos e pratos leves.

Fique atento à Harmonização

Veja as sugestões que você encontra do vinho que pretende degustar.

É possível achá-las no contrarrótulo de alguns exemplares e até mesmo na internet. Assim, basta escolher um bom vinho e acompanhar uma carne, um queijo ou uma massa que harmonize para não ter erro.

Pense na ocasião

Primeiramente, é preciso saber qual é a situação ou evento em que o vinho será servido. Dessa maneira, é possível definir qual o tipo de bebida procurar.

Por exemplo, um brunch em um dia ensolarado pede espumante, assim como aquele brinde para uma comemoração. Um prato intenso, bem temperado, cai bem com vinhos mais encorpados. Já as receitas mais leves são valorizadas com as bebidas mais refrescantes.

Na dúvida, opte sempre pelos vinhos coringas, como o Merlot e o Carménère, que são vinhos que ficam no meio termo, ou seja, apresentam médio corpo. Eles agradam tanto quem prefere vinhos leves quanto os mais encorpados.

Conheça o seu paladar, muitas vezes, quando começamos a frequentar esse mundo surpreendente dos vinhos, não sabemos exatamente o que nos agrada. É comum, no início, não ter essa noção do nosso paladar. Por esse motivo, nada melhor do que experimentar. Faça uma degustação que vai auxiliar a definir o seu gosto da seguinte maneira:

Prove 3 tipos de uvas:

  • Pinot Noir (leve),
  • Merlot (médio)
  • Cabernet Sauvignon (encorpado).

A partir daí, você já terá uma ideia melhor da sua preferência. Quando falamos em corpo, nos referimos à sensação de peso que a bebida traz à boca. Um refresco de limão é leve, já um suco de manga é denso, pesado. Entendeu a diferença? Sendo assim, observe qual o corpo que te deixa mais satisfeito, aqui não há necessidade de nenhuma análise técnica, apenas perceber o vinho que mais gostou.

Conheça os tipos de vinho

Para não ficar perdido na hora de navegar pela loja online para procurar o seu vinho perfeito, defina qual é o da sua preferência ou o ideal para a ocasião. Assim, fica mais fácil escolher a bebida certa. Para isso, é preciso saber quais são os tipos de vinhos.

A seguir confira alguns, conforme as classificações.

Presença de borbulhas

Os vinhos que apresentam borbulhas são os espumantes e os frisantes. Já os que não as contêm são chamados de “tranquilos”. Há ainda aqueles com efeito agulha, com borbulhas bem delicadas, e que são sentidas no paladar como leves picadas de agulhas, que é o caso dos Vinhos Verdes.

Cor

Os aspectos relacionados à cor do vinho, como tonalidade e intensidade, dependem da variedade da uva, da maturidade dela na colheita e do tempo em que as cascas mantém contato com o líquido durante o processo de vinificação.

Doçura

O teor de açúcar de um vinho é importante tanto para o paladar quanto para sua harmonização. A classificação dos que apresentam menos doçura para os vinhos mais doces é: seco, semi-seco, suave e licoroso. Escolha o tipo de uva Saber as características dos principais tipos de uvas é fundamental.

A partir delas é possível saber o que esperar do vinho. Por exemplo, um branco de Sauvignon Blanc é leve e fresco, já o elaborado com a Chardonnay é mais doce e encorpado.

  •  Merlot: é o mais versátil tinto seco de corpo médio, que harmoniza com queijos médias, massas moles e carnes vermelhas ou suínas;
  • Malbec: tinto seco e encorpado, ideal para massas com molho vermelho e carnes de sabor intenso ou churrasco;
  • Syrah: tinto e encorpado, tem sabor intenso que combina com carnes vermelhas; • Carménère: tinto com aroma de frutas vermelhas, vai bem com cozidos e possui características similares ao Merlot;
  • Pinot Noir: pode ser usada para vinhos tintos e brancos, tem sabor delicado e corpo leve, ideal para carnes magras, queijos brancos e pratos leves.

Fique atento à Harmonização

Veja as sugestões que você encontra do vinho que pretende degustar.

É possível achá-las no contrarrótulo de alguns exemplares e até mesmo na internet. Assim, basta escolher um bom vinho e acompanhar uma carne, um queijo ou uma massa que harmonize para não ter erro.

Tudo que você precisa saber para escolher um bom vinho

Sobre o autor: Mileid Malta

Chef Gastróloga 👩🏻‍🍳 Mãe 👨‍👩‍👧‍👦🤍🤍💍 Dicas e receitas práticas p facilitar seu dia a dia ❣️

Deixe um comentário